Há um quadro que mostra Jesus com uma lanterna de azeite, batendo à uma porta. Essa cena me inspirou um drama mais ou menos assim:
 
A criança está dentro da casa escura, nada podia ver, nada podia ouvir, a não ser insistentes batidas à porta…
 – Há alguém lá fora. Está batendo há muito tempo, nem sei quanto.
As batidas seguiam calmamente, insistentemente, em intervalos muito precisos…
 – Quem será? O que acontece se eu perguntar?
A criança mesclava medo e curiosidade, até que esta venceu e arriscou…
 – Quem está aí? Perguntou esitante.
 – Sou eu. Deixe-me entrar.
Uma voz grave e terna invadiu todo o recinto, como que quebrando a estabilidade vigente no ambiente. A criança calou-se por alguns segundos, mas vendo que o contacto se estabelecera, as batidas cessaram…
 – "Eu" Quem?
 – Sou teu irmão – respondeu a voz de cristal.
 – E eu lá tenho irmão? O que você quer?
 – Vim te buscar para levá-la à casa de nosso Pai.
 – Ué! Pai??? Mas disseram que sou órfã!
 – Não, não é. O Pai não abandona seus filhos e eu não negligencio meus irmãos.
 – "Irmãos"? Então tem mais?
 – Muitos mais, todos ansiosos pelo teu retorno; e eu sou o mais velho.
Um breve instande de silêncio inundou a casa escura. A criança se sentia impelida a abrir a porta, mas também temerosa pelas represálias, caso o fizesse…
 – Não posso. Se eu abrir, eles me castigam. Além do mais, já me acostumei. É escuro, às vezes me machuco, mas acontece mesmo; é frio, às vezes adoeço um pouquinho, mas a vida é assim mesmo, não tem jeito.
 – Não confunda medo com resignação, e nenhuma prova lhe deve ser imposta além das que o Pai lhe confiar, e tu já venceste todas.
 – Mas se eu abrir, eles vão me castigar – Diz já em prantos.
 – Nenhum mal te acometerá se vier a mim.
 – Promete? Você me protege?
 – Prometo.
 – Então… Nem sei pra que lado fica a porta!
 – Eu te guiarei.
 – Você sabe como é aqui dentro??
 – Sei de tudo o que se põe no caminho de tua felicidade. Venha, eu te guio.
Jesus guiou a criança com cuidado, pois ela já estava debilitada, de modo a não tropeçar ou ferir-se nos objetos do ambiente. Até que ela encontrou a porta e, seguindo as orientações, girou com cuidado a maçaneta da porta que só se abre por dentro. A porta se abriu. Jesus entrou, com ele entrou mais luz do que o Sol lega à Terra…
 – Oi – Disse a criança sem encontrar mais palavras.
 – Oi. Vamos para casa.
Assim que Ele a pegou nos braços, as chagas desapareceram, com ela a velha e já inservível casinha que a mantinha cativa. Sua casa agora é o reino infinito de seu Pai.
Anúncios