Mais um que era nosso e agora teremos que comprar deles

O grupo inglês Capadóccia, que comprou os direitos completos da marca Óbvio!, anunciou que fabricará o 828H, versão híbrida do Óbvio! 828. Só resta saber se a então presidente Dilma Rousseff vai ter coragem para oferecer os incentivos necessários, ou se o grupo fabricará o carrinho de três lugares no México, com quem temos um acordo de isenções.  Se fosse vendido hoje, com as taxas absurdas que nos esvaziam os bolsos, ficaria entre R$ 150.000,00 e R$ 200.000,00; vindo do México, sairia por menos de cem mil, com translado e toda a burocracia que mesmo os mexicanos amargam conosco. Notícia do grupo Estado de São Paulo.

A boa (nem tanto) notícia foi dada na última sexta-feira, em um evento no consulado britânico em São Paulo, dirigido por empresários – maioria ingleses – e pilotos de fórmula 1.
Informações sobre o evento, clique aqui.

O motor de alta eficiência foi desenvolvido com a ajuda de engenheiros brasileiros exclusivamente para o carrinho, que será o primeiro no mundo a comer cana, em vez de lamber borra de hidrocarboneto.

Agora vocês estão se perguntando: Que diabos é Óbvio! 828″(nome com exclamação mesmo)?

O Óbvio! 828 é uma das maiores frustrações, um dos mais gélidos baldes d’água que já jogaram na indústria genuinamente brasileira. Teve o mesmo fim da Puma (hoje uma fábrica pequena na África do Sul), da Miura (que prometeu e não fez seu retorno triunfal neste ano) e da Gurgel.

Ele surgiu de um projecto dos anos oitenta, idealizado pelo genial designer Anísio Campos como Dacon 828. Na época era um três-lugares (na verdade dois+um) com motor Volkswagen a ar e produção terceirizada pela Puma. Apesar do tamanho reduzido e da mecânica barata, a produção em pequena escala o encareceu e o tornou mais um mimo de ricos, que não resistiu à abertura descriteriosa das importações pelo então presidente Fernando Collor de Melo.

Dacon 828 original.

Nos anos noventa, bastante reestilizado, tentaram revivê-lo com mecânica BMW três cilindros turbocomprimida, mas a fábrica de motores não foi adiante. O 828 foi vítima de ter esquecido suas origens de versatilidade, acabou sendo projectado para usar um motor exclusivo e sairia caro demais consertar o erro em tempo hábil. Chegaram a comprar os direitos de venda exclusiva nos Estados Unidos, mas a idéia também não foi adiante.

O resto vocês podem deduzir facilmente, governo e povo dão as costas a uma idéia brilhante gerada aqui dentro, agora teremos que comprar bem mais caro dos ingleses. A bela, se bem que estranha, imagem acima e mais dados estão no blog Puma Classic, referência em derivados do Fusca.

Várias marcas também estão acreditando no Brasil mais do que o governo, como a Mitsubishi que já apresentou o MiEv, a Oxxor e a EBX de Eike Batista.

O que mais? Torça e faça lobby, não deixemos mais esta chance passar. Divulguem esta notícia se têm um mínimo de patriotismo. Como a mim, vão lhes oferecer resistência e insultos, mas assevero que vale à pena. Boa sorte.

Anúncios