É bonitinho, mas caaaaro!!!

O Honda Fit, também conhecido como Jazz, que eu maldosamente apelidei de Honda Hamster, por similaridades óbvias, acaba de ser apresentado em sua versão eléctrica na Califórnia, para a alegria de The Governator Schwarzenegger, o conservador mais avançadinho do último século.

Como as imagens deixam claro (aqui e aqui) ao menos no protótipo a grade foi suprimida, dando um sorriso prateado que o faz se parecer com um anime japonês, aliás, a origem dele. O interior em um cinza elegante e fácil de sujar, toma lugar dos tradicionais  preto e cinza escuro. A sensação de espaço compensa e incentiva as prevenções. Nos Estados Unidos, o dono poderá controlar a recarga pelo smartphone ( e eu pensando que essa bodega fosse só luxo) um computador portátil ou controle remoto e saber quanto tem de energia para rodar.

Com velocidade máxima declarada de 144km/h e autonomia de 160km, está dentro da média dos eléctricos modernos, com liberdade para o circuito urbano e pequenas incursões na região metropolitana. Pode ser recarregado em doze horas, numa tomada de 120v , ou menos de seis em uma de 240v, como as que temos em Goiânia.

Há a possibilidade de ele vir para o Brasil, mas não se animem demais, é só uma promessa. E vindo, assevero que será caro, ficará para os mais abastados usufruirem do conforto e silêncio, e financiarem as pesquisas para aperfeiçoar e baratear o carro. É para isso que os ricos existem. Aquio vídeo da apresentação à imprensa com texto oficial acompanhando, em inglês.

Outra idéia acalentada é fazer um híbrido com motor de ciclo Atkinson, com transmissão continuamente variável, usando sua plataforma desenvolvida justamente para esse tipo de alimentação, que pode servir para inúmeros modelos, de minivan urbana a sedã de luxo. De quebra reduz os custos, um dos pontos fracos dos híbridos. Células de hidrogênio também estão nos planos para o futuro.

Aqui o site da Honda, em inglês, com tudo detalhado. A montadora está nos Estados Unidos desde 1959, mas ainda hoje eles dizem que Honda é carro japonês, mesmo com “made in usa” na etiqueta.

Este dificilmente vem, mas torça e poupe.

Também o Toyota Rav4 (aqui e aqui) debutou na tomada, com motor desenvolvido em conjunto com a Tesla Motors, com quem se associou (aqui) para desenvolver seus veículos à indução magnética. Está previsto para 2012, infelizmente não para o Brasil. Sem muitos detalhes, mesmo a Toyota (aqui) parece confiar no taco da parceira a ponto de deixar-lhe o encargo da produção. Bem, a Tesla (aqui, podem babar) já provou do que é capaz, para quem pode pagar.

Anúncios