Vem ou n ão vem?

Prometido há cerca de dois anos, o magnata russo Mikhail Prokhorov já mostrou as imagens, digitalizadas, do que pretende ser o híbrido mais barato do mundo. O People’s Hibridy (nome provisório) será oferecido na Russia e nos Estados Unidos por dez (alguns falam em doze) mil dólares, para o mercado americano; preço só do carro, sem impostos nem transporte, ainda assim é uma pechincha.

Sem muitos detalhes, informam (aqui, aqui e aqui) que o carro terá um motor eléctrico de 20cv para empurrar seus magros 680kg, e um a combustão de 61cv com máxima de 120km/h (limitação electrônica, que nos EUA deve cair)  e consumo médio de 27,7km/l. A aceleração é boa, de 0 a 100 em 12s.

O primeiro protótipo para exibição foi prometido para

dezembro próximo. Mas pelas imagens as duas versões, hatch e coupé, dão a entender que serão fabricadas com uma gaiola (space frame) coberta por painéis de plástico industrial, como o Smart, o que facilita a montagem e dispensa uma série de etapas que os automóveis mais comuns utilizam, como soldas, proteção contra corrosão, além é claro da cara e delicada estamparia. Vendas previstas para 2012. Há um vídeo da repostagem aqui, em inglês, como o texto.

O mote para cativar o público americano, porém, é o espaço interno, reclamação crônica e aguda dos que trocaram seus carrões por carrinhos, quando o presidente Barak Obama lançou aquele incentivo para a renovação da frota. Quem está acostumado a viajar por um país imenso, com costas para os dois grandes oceanos, não vai querer encolher as pernas durante a viagem, como nós brasileiros fazemos sem reclamar.

Para bancar o projecto, Prokhorov conta com um império que inclui o grupo Onexim, para pesquisas em nanotecnologia, a gigante mineradora Polyus Gold e a fábrica de caminhões pesados Yarovit Motors, cujos modelos vocês não vão querer ver pelo retrovisor.

Prometido há cerca de dois anos, o magnata russo Mikhail Prokhorov já mostrou as imagens, digitalizadas, do que pretende ser o híbrido mais barato do mundo. O People’s Hibridy (nome provisório) será oferecido na russia por dez (alguns falam em doze) mil dólares, para o mercado americano; preço só do carro, sem impostos nem transporte, ainda assim é uma pechincha.

Sem muitos detalhes, informam (aqui, aqui e aqui) que o carro terá um motor eléctrico de 20cv para empurrar seus magros 680kg, e um a combustão de 61cv com máxima de 120km/h (limitação electrônica, que nos EUA deve cair)  e consumo médio de 27,7km/l. A aceleração é boa, de 0 a 100 em 12s.

O primeiro protótipo para exibição foi prometido para dezembro próximo. Mas pelas imagens as duas versões, hatch e coupé, dão a entender que serão fabricadas com uma gaiola (space frame) coberta por painéis de plástico industrial, como o Smart, o que facilita a montagem e dispensa uma série de etapas que os automóveis mais comuns utilizam, como soldas, proteção contra corrosão, além é claro da cara e delicada estamparia. Vendas previstas para 2012. Há um vídeo aqui.

Não se cogitou o mercado brasileiro, mas russo rico é quase sempre excêntrico, e aproveitar um filão que as grandes montadoras olham com medo seria só um piscar de olhos.

Anúncios