Ciclomotor à ar comprimido, que é comprimido pela electricidade.

Embora aos solavancos e cercados de olhares desconfiados, os fabricantes estão conseguindo colocar os carros eléctrico e híbrido em prática. Ainda são caros, porque a maioria quer fazer bem feito, mas há pessoas pagando também pela evolução atrasada, não só pelo famigerado custo/benefício; este um instrumento poderoso para especuladores.

Mas sempre temos alguns cancros que tentam minar os esforços coletivos. A Oxxor, que deveria ser uma promessa, está se revelando uma fraude quase certa. A amiga New recebeu informações e links confiáveis (leia aqui e se segure para não chorar de raiva) de que seu presidente anda pulando de cidade em cidade, prometendo instalar no local sua hipotética fábrica de carros eléctricos, angariando recursos para uma verdadeira pirâmide financeira. Não é à toa que os modelos vistos na página oficial (esta) sejam tão parecidos com os chinesinhos de outras marcas, que começam a ser vendidos por aqui, alguns sendo, aliás, idênticos, para não dizer “os mesmos”.

Não adianta, caros leitores, ser competente e dedicado, é preciso ser também vigilante. Os inimigos da motorização magnética, seja por ganância, ignorância ou machismo, se valem de tudo para barrar uma boa idéia que lhes custe seu conforto psicológico. Seja em que área for; ecologia, engenharia, construção civil, avanços sociais, tudo. Seus egos estão acima das necessidades do resto da humanidade e ponto final.

Peço que não desanimem, pois agora interessa a quem tem poder que o atraso secular seja revertido, ainda que engatinhando, com bem pouca boa vontade, mas já interessa. De minha parte eu continuarei trabalhando em prol de cidades onde o alerta de poluição seja desnecessário, e esperarei que ao menos os demais, como Eike Batista, não nos decepcionem.

Anúncios