Não tem tomada na garagem? Vou comprar de outro prédio!

Param quem ainda torce o nariz para os carros eléctricos, só porque nunca viu um, os condomínios de São Paulo vão contra Tomé.

Segundo o informativo Condomínios Online (aqui) os novos projectos já estão cogitando a instalação de hodômetros específicos para vagas dedicadas aos veículos eléctricos. As construtoras, animadas pela iniciativa da prefeitura, esperam que os veículos comecem a chegar de verdade até 2013. A idéia de tomadas com wattimetros individuais é para evitar sobrecarga na rede do condomínio, e dar ao proprietário a informação exacta de quanto ele está gastando de energia com seu carango papa-volt.

O informativo só falha pela desactualização, afirmando que eles não passam de 130km de autonomia. Quem lê este blog há mais tempo sabe que esta marca está sendo deixada para trás, em 2013, então, será fava contada. O que eles acertam é na prevenção, pois em alguns lugares do país os eléctricos já caíram no gosto da população.

Decerto que é um diferencial que desvalorizará os outros lançamentos, desprovidos do recurso, mas em breve deixará de ser diferencial para ser quesito mínimo para um empreendimento bem sucedido. Com certeza eles estão de olho em notícias como o sucesso das motoquinhas de tomada no Acre.

O Que? Não souberam? Então eu conto.

No Acre as motonetinhas são uma febre (aqui) entre os nativos.  Apaixonados pela praticidade, economia e isenção de IPVA, os acreanos estão pagando felizes o preço de aquisição mais salgado, que é rapidamente recuperado.  O Estado está dando uma lição ao resto do país, embora as constructoras locais tenham dormido de touca. Mas é questão de tempo para eles acordarem. Principalmente porque Sapucaia já saiu na frente e está prestes a fazer olhinhos acreanos brilharem com motocas made in Brasil. É o seguinte…

No que depender da Prefeitura de Sapucaia (aqui) a razão dos condomínios paulistas e a sanha por mobilidade eléctrica dos acreanos só crescem. A prefeitura tomou um imóvel que abrigava uma cerealista, que teve o alvará cassado, e anunciou a instalação da fábrica de motocicletas eléctricas Kasinski, que deve entrar em operação antes do fim deste corrente ano.  Serão produzidas bicicletas eléctricas e pequenas scooters com média de 40km de autonomia, uma motocicleta para 110km e um scooter “de adulto” com 120km de autonomia. O governo fluminense reduziu de 18% para 4% o ICMS de motocicletas eléctricas. Rezando a empresa não estava, porque cassar alvará é algo muito sério, é o último recurso contra o infrator. Digo isto dos meus oito anos e meio de Prefeitura de Goiânia.

Acreanos e paulistanos, podem pedis as suas para Papai Noel! Querem um doce? Vou adoçar suas bocas:

Anúncios