Depois que ficou pronto, parece ser tão simples!

A Universidade de Illinois (here), Estados Unidos, encontrou um meio de acelerar a recarga entre dez e cem vezes, em baterias de íon de lítio ou Níquel e Hidreto metálico.

A pesquisa se baseia na facilidade que os capacitores têm em descarregar e recarregar sem sofrerem danos. Como eles ainda são muito caros e pesados em relação às baterias citadas, os cientistas (estes merecem a alcunha) bolaram um catodo montado como capacitores, com filmes tridimensionais, nos quais as moléculas são dispostas de modo a ocupar todos os espaços possíveis, reduzindo as resistências internas. Provavelmente o único filme 3D que não causará polêmica entre os cineastas.

A idéia, quase um ovo de colombo, pode ainda permitir que as baterias descarreguem completamente, o que aumenta não só a autonomia, mas a relação peso/potência que é um dos calcanhares de Aquiles dos carros eléctricos. Provavelmente uns vinte por cento de ganho podem ser esperados.

Embora as baterias mais nobres tenham sido o alvo, acredito que as tradicionais, baratas e confiáveis baterias de chumbo também seriam beneficiadas, o que ajudaria a popularizar ainda mais rapidamente a mobilidade eléctrica.

As pesquisas, embora prontas, ainda não estão disponíveis para o grande público, mas é questão de pouco tempo até que comecem a produzir e a técnica de produção barateie, então veremos baterias de 1kw/h fornecendo realmente 1kw/h durante uma hora.

Anúncios