Carro eléctrico também está sujeito a incêndios. Se houver sobrecarga e plásticos de baixa qualidade, o risco é grande. Não tanto quanto nos carros à combustão, afinal não há um líquido volátil para jogar lenha na fogueira, mas existe.

Em Abril (ver aqui)  um Zotye Langyue, derivado da Fiat Múltipla EV, fabricado em Hangzhou, pregou um susto no taxista indignado e seus passageiros, que saíram sem sofrer queimaduras. O maior motivo da perplexidade é que o carro era novo, comprado em Janeiro, de um lote de trinta.

A cidade é a maior responsável pela popularização do carro eléctrico na China, conseqüentemente deu o pontapé para sua popularização no mundo.

A intenção é trocar todos os táxis à combustão por eléctricos, mas no que depender do incidente, a população pensará duas vezes antes de comprar um, pelo menos da marca Zotye.

As autoridades, que se orgulham do pioneirismo chinês na mobilidade eléctrica, aguardam pelos resultados das investigações da administradora, que retirou os táxis eléctricos de circulação até conclusão das mesmas.

Particularmente eu acredito que a causa seja o barateamento a todo custo, que é quase uma lei ente os carros chineses. Os chineses estão acostumados a um nível de acabamento que faz o Mille parecer um carro mais caro, tendo como mote o recheio de acessórios sabe-se lá com que qualidade. Uma unidade que saia com um problema de qualidade no sistema eléctrico, ainda que seja só ela, pode fazer a má fama do modelo. Esses carros usam baterias de íon de lítio, que é um metal altamente reativo e que necessita de monitoramento refinado, para não se danificar irremediavelmente. Uma falha que permita um pico de energia por tempo prolongado, em um ambiente rico em plásticos de pequena espessura, e fiação muito econômica, o superaquecimento se torna inevitável.

Acredito que o problema seja isolado, que em modelos para exportação os cuidados sejam redobrados, que os modelos caros (a maioria dos eléctricos chineses é muito acessível) recebam materiais de boa qualidade. Mas o incidente, graças à Deus ficou só no susto, mostra o que deveríamos ter aprendido na infância, com electricidade não se brinca. Ainda mais quando a amperagem supera fácil a casa dos três dígitos, se não houver controle eficaz.

Para quem nunca ouviu falar da Zotye, eu mesmo pouco conheço, apresento aqui e no vídeo:

Anúncios