O i-Miev flagrado é igual a este.

Um leitor do iG (aqui) flagrou o primeiro Mitsubishi i Miev importado oficialmente para o Brasil. O carrinho já porta placa cinza, ou seja, está regularizado para uso normal em nosso território. O nome de quem o comprou não foi revelado, afinal ele custou o equivalente a um Mitsubishi Lancer, cerca de R$ 200.000,00. Além da dinheirama, nosso compatriota também esperou um trimestre para receber o carro, porque mesmo na Europa há alguma espera.

Com máxima de 130km/h e alcance de 160km, o i Miev é a versão Mitsubishi para o monovolume que divide com a PSA, que o vende como Citröen C-Zero e Peugeot  iOn. Menor e mais alto do que o Mille, é provável que tenha uma dona. Os 1080kg do i Miev asseguram a agilidade de seus 3,4m de comprimento por 1,48m de largura e 1,6 de altura; quase a altura do Ecosport. As baterias sob o assoalho asseguram alguma estabilidade, afinal é mais estreito do que o Fusca.

Isto confirma o que eu digo aqui há quase um ano, há gente disposta a deixar o conceito de custo-benefício e a sensação de poder, em prol de outras formas de status e do benefício coletivo, mesmo pagando um absurdo por isso. Havendo com este primeiro modelo vermelho e branco a mesma satisfação que há no resto do mundo, logo mais gente com recursos vai querer o seu. Leaf, Volt, Tesla e até a empresa que converte o minúsculo Smart poderão desembarcar por cá antes do que imaginávamos.

Havendo interesse em nível mercadológico, em vez de particular, claro que a Mitsubishi começará a importar oficialmente, reduzindo um pouco o preço do monovolume. Acontecendo, e acredito que é questão de menos tempo do que estimava antes, será uma derrota dura para o governo por sua omissão. Se nós quisermos um carro eléctrico, teremos que agir por nossa conta, e já começamos.

Anúncios