Eu já achava este carro bonito, mas de uniforme ficou bem melhor.

Pode parecer apenas um incentivo a mais para a popularização do carro eléctrico, já que após o pior da crise ter passado, mais da metade dos americanos entrevistados disse que não compraria um carro eléctrico, não como primeira opção e não como primeiro carro. Mas a coisa é séria.

A Polícia de Nova Iorque comprou nada menos que cinqüenta Chevrolets Volt, dez Ford Transit Conect e dez caminhões eléctricos (Motor Dream). Com eles já são 450 plug-ins no serviço público novaiorquino. O problema da autonomia limita o uso à parte administrativa, mas em uma emergência a arrancada de um Volt pode fazer a diferença em curtas distâncias. Para policiamento ostensivo e patrulha de longa duração, os bons e velhos Caprice com seus abrutalhados V8 continuam na activa.

As baterias do Volt podem ser recarregadas em dez horas em uma tomada de 110v, ou quatro em uma de 240v. Tempo demais para uma viatura policial esperar, apesar do motor à combustão que estende bastante a autonomia. Só com baterias ele roda até 80km, chega a 500km com o motogerador turbo à gasolina de três cilindros e mil cilindradas.  Já pensaram um à biodiesel? Ao menos para o Brasil e a miopia técnica do governo, podemos esperar sentados.

O Transit Connect é praticamente desconhecido no Brasil. É um pouco maior do que o Dobló e tem a altura da Kombi, chega a 120km/h e roda até 128km com uma carga. Não foi informado a que velocidade se dá esta autonomia, mas tudo leva a crêr que é à máxima. Caros compatriotas, apresento o transit Connect em versão eléctrica:

Anúncios