Acredito que a própria Nissan não esperava que ficaria impune em sua iniciativa, porque não ficou mesmo. A Chevrolet decidiu botam o Volt na estrada (aqui e aqui) na VoltXpedition, que começou hoje, dia oito de Agosto. O híbrido (não vem que não tem, é híbrido!) irá rodando por São Paulo (São Caetano, São Paulo, São José dos Campos e Taubaté), Rio Grande do Sul (Porto Alegre, Osório, Gravataí), Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília e Recife.

Cliquem aqui para irem ao website do evento. É um pouco pesado, pode demorar um pouquinho a carregar, mas é completo, de muito bom gosto, amigável, fácil de usar, enfim, um show à moda GM. Em baixo há uma barra com a cronologia da GM, que já foi inimiga dos carros eléctricos, não esqueçamos, também não esqueçamos que apontar as falhas alheias é feio, especialmente quando o alheio se esforça em repará-las. Ao redor da figura do Volt há uns links que carregam rápido, o link “Volt por dentro” abre um vídeo em inglês, mas legendado, que explica à moda Chevrolet o que é o Volt,e  exalta sua autonomia sem nenhuma cerimônia. O link “Eventos”, na barra superior, leva à página que mostra quando cada cidade será visitada… Sim, leitores espertos, a Chevrolet está tentando lhes vender o Volt já no site da expedição. E se não tomarem cuidado, ela vai conseguir, porque ele tem arsenal para isso. Ah, sim, este aqui é o blog deles.

Também está no Twitter (aqui), no Facebook (aqui) e no Youtube (aqui).

A intenção de ele ir rodando é clara, mostrar o calcanhar de Aquiles de seu maior rival nos Estados unidos, o Leaf. Lembrar que se trata de uma caravana de muitos modelos, justificando o transporte, fica para os debates acalorados de fãs e montadoras.

Começando pela Escola Politécnica da USP, a GM fará palestras com seus profissionais, nas universidades por onde passar. Isto mostra bem o público que a GM espera que compre o Volt.

Detalhes da programação não foram divulgados, o que junto com o início tão rápido do evento pode parecer irônico, vindo da General Motors, que quase foi rebaixada a Captain Motors, após experimentar o amargo gosto de Coronel Motors. O facto é que a GM sempre gostou de surpreender seus potenciais consumidores, como nas caravanas dos ônibus Futurliner (aqui e aqui), que dos anos quarenta até meados dos anos cinqüenta varreram os Estados Unidos, levando a cidades distantes e com poucas opções de lazer, um pouco de entretenimento tecniológico, futurológico e marketing de primeira qualidade.

Também há o facto de que o Volt está evoluindo com rapidez, e seus custos se pagando antes do que a GM esperava e a mesma se esmerando em barateá-lo mais. Também ajudará o facto de a próxima geração ser mais barata e seus materiais mais simples (aqui), com uma margem de lucro bem estreita. O que hoje é um showcar, passará a ser um híbrido “normal” para o consumidor comum, embora eu acredite que a Chevrolet vá manter o acabamento refinado para versões mais sofisticadas.

O trauma da quase quebra, e humilhação de ter sido uma estatal por um bom tempo, foi eficaz. A GM está tão empenhada em limpar sua imagem, apesar de vícios perdurarem, que investirá em uma rede de recarga por energia solar (aqui) em suas concessionárias Chevrolet. Não, ela não ficou boazinha, só está aprendendo a lição bem dada.

Assim como recomendei a Nissan Inova Show, também recomendo que participem do VoltXpedition quem tiver a chance. Quem já viu o hatch ao vivo, diz que ele impressiona. Fosse meio metro maior, seria um legítimo carro americano… Basta um porta-malas saliente, oras!

Anúncios