Embora sejam as melhores baterias do mundo, as íon de lítio não são as mais seguras. O que as torna tão mais utilizadas é a relação custo/peso/potência muito favorável. Embora nenhuma ocorrência grave tenha sido registrada por causa delas, não em utilização tracionária.

Mas há os que pagam o preço de uma bateria mais pesada em nome da segurança, e da facilidade de reciclagem. A chinesa BYD lançou o e6, um crossover que chaga (segundo a fábrica) a 140km/h, vai de 0 a 100 em 14s (também segundo a fabrica) e roda até 300km sem recarga, usando baterias de fosfato de ferro (estas) . Mais aqui, aqui e link para o e6 aqui.

O e6 pode ter recarga completa em seis horas, na tomada, ou em 40min em recarga rápida, que só deve ser utilizada esporadicamente, em situações de real necessidade.

Longe de ser atraente para os padrões vigentes, com o tamanho aproximado de um hatch médio, é um carro de desenho sóbrio e discreto, que chamaria atenção no trânsito justo por isso. Parede uma mistura de estilos de outros carros, mas é uma das poucas misturas que dão certo. É espaçoso, são 4,554m de comprimento, 2,83m de entreeixos, 1,822 de largura e 1,63 de altura; os cinco ocupantes deitam e rolam lá dentro. Seus 2020kg são bem levados pelos 65cv de potência nominal, 98cv de pico. Em testes ele já chegou a 160km/h e fez de 0 a 100 em menos de  8s. É um carro tranqüilo, mas que como todo carro pode ser apimentado e incrementado, se houver verba para investir.

Sem os incentivos, custaria cinqüenta e sete mil dólares na China, com eles, sai por US$ 38.430,00… Importar para cá sairia por uns R$ 185.000,00…

A empresa é também famosa por seus ônibus eléctricos, bem como por ser uma das poucas exceções no controle de qualidade e robustez estrutural, entre os fabricantes de veículos de turismo, quando o projecto fica caro demais para ser desenvolvido sozinho, eles compram permissão para produzir base e mecânica, geralmente da Mitsubishi ou Nissan. Recentemente demonstrou interesse claro em montar seus carros (aqui) em Pernambuco, e alguns modelos já são testados (aqui) em território nacional. Website da montadora aqui.

Se ele vem para o Brasil? Caso a BYD concretize seus planos, é possível que a china subsidie a exportação. Antes que alguém aí torça o nariz por causa da origem, devo advertir que os países nórdicos e a Espanha começaram a comprar os ônibus da marca, antes de o PC chinês usar a ajuda como moeda de troca para a liberação de seus productos em solo europeu. Falta de qualidade não acomete um BYD… Resta saber da assistência pós-venda…

Como táxi ele é muito bem aceito na China, por ser espaçoso e, como todo eléctrico, muito econômico.

Anúncios