Saiu no blog da VoltXpedition (aqui) um artigo com vistas explodidas dos motores que equiparão o Spark EV. A montadora está desenvolvendo motores especificamente para o sub compacto, cuja versão eléctrica sai do forno no início de 2013.

O pequenino com cara de pókemon zangado terá nada menos do que 114cv. O modelo com motor 1,2l à combustão gera 83cv e todo mundo considera bom. Podemos esperar ver Sparks fritando pneus e deixando carros esportivos caros para trás, pelo menos nos primeiros cem metros, como mais gente (aqui) já deduz. O pouco entreeixos que suas dimensões permitem, o tornará especialmente valioso em circuitos travados. Com tudo isso podemos esperar ver o nascimento do mercado de preparação de hubmotors, com baterias de carcaças de fibra de carbono, para melhorar a relação peso/potência das mesmas… Tal qual aconteceu com os hot rods nos anos trinta.

Bons marketeiros como todo chevrolista, o pessoal do blog fala como se não fizesse parte da equipe da GM, o que cativa a simpatia imediata da maioria dos leitores. Segundo eles “Embora tudo seja muito sigiloso, alguns membros da mídia local puderam conhecer os progressos com o desenvolvimento de motores de indução e motores de imã permanente”. Estão fazendo um pouco de mistério, deixando a cargo da imaginação, e discussões técnicas da imprensa, especulações se seriam os melhores motores para o Spark, se será escolhido um só ou irá um para o (provável) extensor de autonomia e outro para as rodas, um jogo simples que a gravatinha dourada sempre soube fazer com maestria.

Para mim, ainda que lhe pese boa parte da responsabilidade pelo atraso da evolução dos híbridos e eléctricos, especialmente com a condenação por sabotagem à apresentação do Ford eléctrico no início do século passado, a GM percebeu que tem muito mais a ganhar impulsionando do que retardando o inevitável, mas no Brasil está atrasada.

Anúncios